quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Ata da comissão de avaliação dos piores poemas da BPP 9


Olás todos, 

Envio minha parte do texto para a BPP9





Difícil escrever poema pior. Fácil é escrever poema ruim. Poema sem caráter é fácil, difícil é ter caratê no poema, e se tiver ele será primorosamente ruim! Estarão fadados à ruindade poemas que contenham palavras prontas a extrapolar dimensões. Nem Stephen Hawking com suas 11 dimensões consegue ser banal, quem dirá nós pobres mortais tentando ruimar, mar com amar. Palavras grandes como incomensurável, Grandessíssimo, tudo, nada, amor; também as pequeníssimas, como irrisório, ícula, ículo, inho, inha, unha são consideradas explosivas num texto ruim, o que pode ser bom.

Se você nunca escreveu um poema, e se um dia decidir escrever um, ele falará de... Isso mesmo, o tema será esse! 

Amor: o tema mais melancólico do mundo. aprendi a falar de amor sem ser piegas, pedante, pedinte, perigoso, precavido, prevaricativo, preferencial, prioritário, preso, parcial. Aprendi que o amor deve ter origem não platônica da imagem do(a) amado(a); que ele deve ser endereçado a si mesmo. Por mais, à sua árvore genealógica. Tem lógica nenhuma isso! Por isso fiz um poema de amor, porque se eu decidisse escrever um poema ruim para a BPP9, eu escreveria esse:

o eu amor, dos meus eus 

Selneto
Selpai
Selfí te ama!



Grande abraço.

Rogério Coelho, Marina Viana e Vinícius Souza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário